Onde ouvir jazz em Paris

Entre cafés-concertos intimistas, pianos-bares e salas de concertos míticas, dance a noite inteira num dos maiores clubes de jazz da capital

Onde ouvir jazz em Paris © Paris

Duc des Lombards: Clube de jazz incontornável

Verdadeira instituição para serões de jazz em Paris, o Duc des Lombards oferece um ambiente intimista, na presença de músicos escolhidos entre os melhores artistas e jovens esperanças. Com a sua programação de excelência e as suas salas com acústica de qualidade, este lugar agradará aos amantes de música jazz ao vivo durante uma noite inteira (várias sessões).

Jazz Club Etoile: Sala de concertos de música jazz e blues

Por este lugar mítico passaram os nomes maiores do jazz como B.B. King ou Cab Calloway. Ali descobrimos muitos novos talentos e um programa que combina géneros musicais como o soul ou os blues. O ambiente cresce todas as noites e os serões são repletos de surpresas e de revelações. O Jazz Club L’Etoile oferece uma excelente carta de bebidas, com uma seleção de mais de 80 uísques, cocktails clássicos e outros mais criativos, tudo criado pela bartender do hotel.

Caveau de la Huchette: Clube de jazz com pista de dança

O realizador de "La La Land" optou por este lugar parisiense mágico para cenário de uma das cenas mais inesquecíveis do seu filme. Ponto incontornável do swing e do jazz, os clientes vão ali para dançar, ouvir música de qualidade e beber com os amigos, num ambiente caloroso que reúne os pequenos e os grandes. Os trompetistas e os pianistas talentosos e o seu repertório musical dos anos 20 irão levá-lo a si numa viagem ao passado.

New Morning: Sala de concertos / clube de jazz

Situada numa antiga tipografia, com uma fachada com ar underground, esta sala de concertos é célere pela sua atmosfera de jazz e pelo ambiente acolhedor. Seja no público ou no bar, assistiremos neste clube a grandes concertos inesquecíveis que viu ali passar todos os grandes nomes da música jazz internacional como Chet Baker, Charlie Haden ou até Prince.

Baiser Salé: Clube de jazz / café concerto

Esta sala assume constantemente o risco de apresentar música inédita e pode gabar-se de sacudir a indústria da música jazz em Paris com a descoberta de novos talentos rapidamente catapultados para as lides internacionais. Richard Bona, Taffa Cissé, Etienne MBappé, Linlay Marthe, Geoffroy de Mazure e muitos outros iniciaram aqui a sua carreira. Esta combinação de estrelas e novas esperanças contribuem para que este seja o clube mais atípico e inovador da capital. No bar, recomendamos os runs de vários odores e os mojitos frescos.

Sunside / Sunset: Jazz e blues

O primeiro clube de jazz a instalar-se na Rue des Lombards e que se caracteriza pela dupla identidade como indica o seu nome. "Sunset" deslumbra-nos com jazz tradicional e "Sunside" desperta-nos com um repertório mais música jazz-eletrónica. Este estabelecimento popular oferece um ambiente intimista com a sua decoração cheia de lugares-comuns inspirados nos clubes de Nova Orleães. Ali vamos com prazer, acompanhados pelos amigos, para partilhar um ponche da casa.

Le Duke's bar: Piano-bar num hotel

Num cenário de elegância de charme tipicamente inglês, deixe-se envolver no ambiente acolhedor e recatado do lugar. Todas as quintas-feiras e sextas-feiras, visite o piano-bar para saborear um aperitivo ao som de música jazz. Deixe-se tentar pelas seleção de cocktails inéditos ou esquecidos do bartender Gérard.

Studio de l'Ermitage: Concertos de jazz e música do mundo inteiro

Num cenário industrial atípico, este lugar é uma encruzilhada de culturas com um programa eclético: concertos de jazz, de música folk ou de samba, espetáculos de cabaré, peças de teatro, filmes... Aos fins-de-semana o público concentra-se para dançar numa sala elevada ao som da música brasileira. Um mezanino permite-nos observar a multidão e deixarmo-nos envolver no ambiente frenético.

38Riv: Clube de jazz intimista

Acolhedor e caloroso, esta pequena joia aninhada em pleno coração do Marais oferece música jazz autêntica num ambiente familiar. Depois de descer a estreita escadaria e de se instalarem na cave abobadada intimista, prepararem-se para uma viagem pelo mundo da música que se prolongará pela noite dentro.