Locais de diversão para a comunidade LGBT em Paris

Lugares de festa, de dança e de encontros íntimos, os clubes LGBT eletrizam a noite parisiense!

Locais de diversão para a communidade LGBT em Paris © OTCP

La boîte à frissons (Tango): Serões temáticos e de dança para a comunidade gay e lésbica

Este acolhedor clube é perfeito para dar uns passos de dança ao som de música pop, que inclui Katy Perry e Cher no seu repertório. As paixões libertam-se ao soar das primeiras notas das tubas de Dalida! O ambiente é animado e a clientela é heterogénea e bem-humorada. Um clube retro com serões originais e cheios de surpresas.

Le Dépôt: Cruise club gay em Paris

Este clube gay reservado apenas a homens fica em pleno coração de Paris. Ali vão os clientes sobretudo para encontros íntimos, engates, dançar e talvez até algo mais... Todas as noites há um programa diferente. Os serões, aos fins-de-semana, são as noites mais sexy da capital.

Banana Café: Bar incontornável com serões temáticos

Este lugar histórico da comunidade gay parisiense é ideal para festejar com os amigos. Até às primeiras horas da madrugada, pode envolver-se num ambiente divertido, descontraído e muito aberto à comunidade gay. Aos fins-de-semana, descontraia-se com os serões de piano bar. Menção especial para a sua Happy Hour que termina às 23 h!

3W Café: Bar lésbico acolhedor e com pista de dança

Este é o lugar ideal para passar um serão entre mulheres. Propício a encontros íntimos, aqui pode divertir-se num ambiente descontraído, ao som de música minimalista ou da música da casa com os seus serões temáticos.

Bear's Den: Bar gay para homens peludos

Perfeito para os "ursinhos de pelúcia" e a todos a quem essa característica atrai, este bar é ideal para tomar um aperitivo ou para encontros mais íntimos. A clientela, variada (mas, muitas vezes, peluda), tem um espírito aberto e caloroso. Na pista de dança, conhecida como "a gruta", o ambiente é muito quente. Ali pode dançar aos sons dos hits mais recentes do momento ou ao som de músicas mais retro do tipo Clo-Clo e Madonna.

Gibus: Discoteca noturna e sala de concertos gay

Este salão é o lugar perfeito para se divertir com os amigos. Alternadamente clube e sala de concertos, os seus espetáculos são sempre uma viagem de descoberta intrigante pelo mundo da música, com um programa de espetáculos audacioso que inclui música eletrónica e punk. Aos sábados à noite, os melhores DJ da casa dominam a pista de dança com a sua música que a todos leva a dançar até às primeiras horas da madrugada.

Open Café: Bar gay com terraço

Este local de referência incontornável fica situado no centro estratégico do distrito gay de Marais. Tal como seu nome indica, este bar é aberto e tanto homens como mulheres são aí bem-vindos. O local é muito agradável, especialmente para quem pretende beber um cocktail com os amigos no terraço. Aos fins-de-semana, o público aflui em massa e é aconselhável chegar cedo. Boas notícias, a Happy Hour não tem fim!

Cox: Bar gay com música eletrónica

Muito popular, este lugar do Marais atrai principalmente o pessoal do sexo masculino. A calçada parece uma passerelle improvisada inspirada em Jean-Paul Gaultier. O terraço, algumas vezes sobrelotado durante a Happy Hour, é o lugar ideal para conversar e conhecer caras novas. A decoração, muito artística, é renovada em cada trimestre. Aos fins-de-semana, o pessoal vai ali para dançar ao ritmo da música da casa a cargo dos DJs residentes.

Le Bar'Ouf: Bar lounge para as mulheres

A hospitalidade está sempre presente neste bar criado por duas epicuristas. O bar’Ouf é um lugar agradável para conversar, rir, divertir-se e dançar, mas também para visitar exposições de quadros e de fotos. Se sentir nas veias a vontade de competir, pode sempre participar nos torneios de bilhar que têm lugar uma vez por mês.

La Mutinerie: Bar lésbico

Este espaço feminista, muito animado, combina divertimento, cultura e política. Aos serões dos fins-de-semana, a programação alterna entre vários temas, desde o grunge ao burlesco, passando pelo crioulo. Ali, a tolerância é a palavra de ordem e ali se defende a diferença com um apelo à luta contra todas as formas de discriminação.